A importância crescente do social learning no contexto atual

23 de Junho de 2021

Aprendizagem social traduz-se, em termos simples, em aprender com e através dos outros. Somos seres sociais e as interações com outros são essenciais ao nosso desenvolvimento, em todas as fases da nossa vida, estamos, por isso, perante a forma mais natural de aprendizagem.

Albert Bandura surge com a teoria da aprendizagem social demonstrando a importância e a capacidade que temos de reproduzir um comportamento observado. Por outro lado, de acordo com o modelo 70:20:10, a aprendizagem em contexto de trabalho ocorre: 70% de tudo o que aprendemos vem da observação dos outros e das experiências, 20% da interação com os outros e os 10% restantes por via de formação estruturada e formal. Estes são os números que materializam a importância da teoria com a pertinência da metodologia no seio das organizações, em ambiente corporativo.

Cada vez mais, as organizações reconhecem a importância da aprendizagem social e encaram-na como forma de oferecer experiências significativas aos seus colaboradores, clientes e parceiros, pelos vários benefícios que esta metodologia nos traz.

Social learning em ambientes/comunidades virtuais de aprendizagem

  • A aprendizagem social online cria um ambiente colaborativo e inclusivo que incentiva a partilha. O aumento da partilha gera discussões e geralmente gera ideias, soluções e/ou criações que de outra forma não alcançaríamos. O Social learning promove a colaboração entre os colaboradores;
  • ajuda alcançar uma comunicação eficaz;
  • melhora os níveis de envolvimento entre colaboradores;
  • alavanca o sentimento de pertença a uma comunidade/entidade.

Usar a aprendizagem social facilita claramente a aprendizagem pela interação com os outros e permite maior aplicação da aprendizagem em contexto de trabalho.

Com o aumento da incorporação do digital learning nas estratégias de L&D, um dos desafios com que as organizações se têm deparado é como manter o engagement dos participantes na formação. A aprendizagem social é uma forma fundamental de o conseguir.

Embora ainda esteja presente a forte exigência de ambientes de aprendizagem formal para atender a resultados de aprendizagem específicos, a necessidade de as organizações alavancarem plataformas/ ferramentas (e suas funcionalidades) que possibilitem a aprendizagem social e informal, onde os colaboradores se conectam, partilham, colaboram e trocam ideias para resolver problemas está a ganhar território. Prova disso, são os pedidos que vamos recebendo e necessidades que detetamos nos projetos de Digital Learning Experience no ISQe. E sem dúvida que o social learning vem dar resposta a muitos desafios.

De acordo com os dados do “LinkedIn’s Workplace Learning Report” de 2020, 36% dos profissionais de L&D referem que o social learning continuará a ter impacto na aprendizagem online, nos próximos 5 anos.

Então como tirar o máximo partido da aprendizagem social nos programas de L&D?

A aprendizagem social mostra-nos que cada interação é uma oportunidade potencial de aprendizagem. E por isso, as interações devem ser capitalizadas. Aqui estão algumas formas de como incorporar a aprendizagem social na estratégia de L&D, especialmente no contexto atual, predominantemente virtual:

  • Criar um espaço online corporativo e convidar à participação de todos,
  • Uso de redes sociais e participação em grupos de partilha;
  • Encorajar a interação e colaboração através de videoconferência e recurso a diferentes ferramentas internas e/ou externas para dar reposta a desafios;
  • Tirar partido dos especialistas que existem dentro das organizações e criar iniciativas, como webinares, que promovam a partilha de conhecimento e discussão de um assunto com acesso livre às mesmas;
  • Fazer uso das funcionalidades de social learning nas plataformas (LMS/LXP), através da partilha de notícias, notificações, ferramentas de perguntas e respostas, grupos de discussão, fóruns e live chat;
  • Incentivar à curadoria, recomendação de conteúdos e a comunidades de prática são outras formas de potenciar interações sociais;
  • Promover a competição trata-se de uma interação social que envolve e motiva. E quando nos divertimos, aprendemos melhor. Adicionar elementos de gamification na formação, utilizando leaderboards com sistemas de pontos, recompensas delimitadas no tempo, juntamente com outros elementos de jogo, como badges, temporizadores e power-ups, garantirá uma concorrência saudável e impulsiona a aprendizagem;
  • Construir uma funcionalidade de Q&A na plataforma de aprendizagem com o objetivo de permitir que os utilizadores publiquem perguntas que serão respondidas por especialistas (Subject Matter Experts), o departamento de L&D ou partes interessadas da organização. Adicionalmente, recolher as perguntas mais frequentes pode servir de base para construir conteúdos de microlearning, como um PDF interativo ou infográfico. Esta é uma excelente forma de envolver os colaboradores na construção dos elementos que compõem a sua formação.
  • Existem outras formas de criar interações sociais nos programas de L&D e tirar partido da aprendizagem social, mas o pressuposto de base passa por selecionar iniciativas que tenham um objetivo comum e que facilitem a participação do público-alvo. E claro, a tecnologia deve ser um facilitador by default.
  • Em síntese, o social learning deve ser encarado como uma metodologia crucial na estratégia e cultura de aprendizagem das organizações pois promove uma efetiva melhoria na aprendizagem, colaboração e satisfação dos colaboradores. E naturalmente, que isto nos leva para melhores resultados organizacionais.

ISQe

Este site utiliza cookies para melhorar a sua performance, análise de tráfego e otimizar a sua experiência como utilizador. Ao navegar neste site, concorda com a sua utilização.